sexta-feira, 19 de agosto de 2011

A bela solidão

  
  Quero contar algo á você... de coração para coração. Eu a amo, como nunca amei outra antes dela! Seu nome é uma poesia, e sua presença é feito brisa de uma manhã serena de primavera. Sua face é um enigma, mas julgo que seja bela pois a mim jamais a revelou. Deve ser tímida eu acho, pois fala pouco, mas suas palavras me trazem a mais pura paz de espírito. Quando menos espero ela chega e me abraça, de modo gentil sem rompantes nem excessos. Seu amor por mim também é real, porem simples e silente. Bela moça ela é, de movimentos felinos e contidos, ela me pergunta de meus sonhos e esperanças, e me escuta paciente. E se eu chorar permito que tão somente ela o veja. E sobre meus desenganos ela me faz refletir, pois me permite escutar o silêncio e tocar minha alma e me desvencilhar da dor. Companheira em cada entardecer, em cada por do sol. Quando conto as estrelas é o doce sereno que toca meu rosto, e nas noites frias é a barca que me leva por sonhos onde posso ser feliz. Companheira e cúmplice sem nada me cobrar, sempre presente sem ressentimentos falsidade ou ofensas. Bela moça de movimentos felinos e contidos, é ´´ela`` a bela Solidão!

Um comentário: